Busca:
home
linha
institucional
História da Câmara
Legislaturas
Funcionários
Ordem do dia
linha
vereadores
Galeria de Presidentes
Mesa diretora
Comissões
Vereadores
Fale Conosco
linha
Servi�os
Moções
Diário Eletrônico
Tramitação de Projetos
TV Web
Licitações
Legislação Municipal
Prestação de Contas
Notícias
Agenda
Requerimento
Indicações
linha
congonhas
História
Arte Religiosa
Lazer
Mestre Aleijadinho
Barão de Paraopeba
Barão de Eschwege
Os Profetas
Passos da Paixão de Cristo
Barão de Congonhas
Arcebispo Dom Silvério
Cônego Luís Vieira
Zé Arigó
Festas
Hino
Símbolos Municipais
Notícias
linha
Home / Serviços / Notícias
seta
Pe. Paulino discursa sobre Fraternidade e faz um paralelo entre assistência social, política e a violência
Pe. Paulino discursa sobre Fraternidade e faz um paralelo entre assistência social, política e a violência

Na 8° Reunião Ordinária, da Sessão Legislativa da Câmara Municipal de Congonhas, do dia 27 de março de 2018, Padre Paulo Barbosa foi convidado para falar sobre a Campanha da Fraternidade.

 

Padre Paulino falou sobre a Semana Santa apresentou em data show a campanha sobre Abraçar a Sociedade que clama por mais dignidade e esperança. De acordo com informações do Padre Paulo, o Brasil ocupa o 4° no ranking da violência, 60 mil assassinatos por ano. A cada dois minutos uma mulher é estuprada no Brasil. Em MG, ano passado houve mais de quatro mil casos e mais de 90% não denunciam. Falou sobre a morte de Marielle Franco - a representatividade da violência e sua contribuição social, como vereadora e socióloga. Acredita que existam mais mortes no Brasil do que na Faixa de Gaza, no Afeganistão. “São dados muito fortes”.

 

Em Congonhas de 2012 a 2017, dez pessoas foram assassinadas na cidade e afirmou que muitos não foram denunciados, muitas vezes por medo. Acredita que a violência perpassa nas questões: racial, contra a juventude, exploração sexual, contra trabalhadores rurais, o narcotráfico, a violência policial e contra os policiais, a doméstica - Lei Maria da Penha ajuda muito, mas diz que ainda não é exercida de maneira plena e a religião como forma de fanatismo.

 

Disse que em Congonhas existem projetos de inclusão social como Casa Abrigo Primavera, a Casa Dom Luciano e a Casa Abrigo, Reciclando vidas, Garoto Cidadão, que abrigam varias crianças, que foram abandonadas pelos pais e permite a inserção dessas crianças no âmbito educacional e profissional.

 

Afirmou - “é importante ter uma Câmara Municipal que continue apoiando estes projetos sociais, como a Escola da Cidadania e vemos a pluralidade dos requerimentos para neste cenário diminuir a violência. Muito importante o poder público participar e gerir a vida pública, pois infelizmente muitos dão a vida pelo dinheiro e grande parte da nossa juventude não se encontra nas escolas. Os garotos crescem sem escolaridade, educação e familiaridade. Temos visitado algumas escolas e professores e diretores me dizem que é muito difícil educar um aluno que não tem um pai ou uma mãe dentro de casa. Eles não têm parâmetro familiar. Isso é um problema sério.”

 

“Faço trabalho na pastoral carcerária, todo mês sempre e há um projeto hoje entre o MP e paróquia no qual estamos construindo salas, alfabetização e catequese, de adultos e mais de 90% daqueles presos são pobres, analfabetos e sem advogado. Não temos defensoria pública para defendê-los. E não há muita esperança, pois quando saem da prisão retornam para o mundo do tráfico, roubo e/ou morrem. No Brasil são mais de 13 milhões de desempregados e isto também é uma forma de cultura da violência e as pessoas acham que é normal bater, apanhar, se drogar, se prostituir”.

 

“E quando a política está corrupta e se deixa levar por projetos inadequados da vida humana ela também vai favorecer a violência. Prova disso é que em Brasília tem três bancadas: da bíblia, do boi e da bala”. Padre Paulinho diz que é um comentário dos próprios políticos. E concluiu que a dignidade humana está em primeiro lugar. “E tudo que se faz em favor da vida estamos fazendo para a fraternidade e para um mundo melhor”.

 

Fonte: Rita Cordeiro/Assessoria de Imprensa/ CMC

topo
voltar
linha
CÂMARA MUNICIPAL DE CONGONHAS
Rua Dr. Pacífico Homem Júnior, 82, Centro - Fone: (31) 3731-1840
Why Digital - 2009
Congonhas - Minas Gerais - Brasil
camara@congonhas.mg.leg.br